Autoajuda Alta

 

Não sei como isso se deu, mas acho que estou gostando de você. Pois é! Acho que nem mesmo você queria isso, não esperávamos por isso. Você é orgulhoso demais para me dizer o mesmo, caso o mesmo esteja acontecendo com você. Será?
Vejo tudo diferente à minha frente, vejo tudo misturado e meio bagunçado. É novo demais esse teu jeito, esses teus horários que me acertam em cheio a organização linear de certo modo de agir.
Faz-me rir. E como! Logo eu, tão boba e de riso frouxo, tão sisuda e estranha. Logo eu que pensei ser você só mais um desses “cafas” mulherengos que por aí estão aos montes. Mas sabe, você vem com esse teu ar de quem tudo sabe, de quem tudo leu. Você, o professor, chega e tem o dom de exagerar às vezes.

 
Pois é! Você não é perfeito, meu bem, tem só o dom da retórica que me faz confusa, mas ainda bem!! Para meu ótimo prazer a perfeição, de nada e nem de ninguém, existe. De nada adianta esses teus livros de autoajuda quando preciso de sua compreensão para a minha imaturidade. Muito mais do que ser de veneta, oito ou oitenta,  eu, às vezes, sou uma criança boba e esperta de 8 anos e outras uma velha amável e medrosa de 80.  TUDO JUNTO! Tudo mesmo!
 
Há momentos em que minha coragem vai embora. Há momentos em que quero te olhar nos olhos e te dizer: Foda-se! Eu não me importo. Mas me falta coragem… não sei mentir. Posso conseguir um desconto numa loja inventando a maior história do mundo para o vendedor distraído, mas eu não sei mentir. Tenho olhos rasos d’água quando algo me emociona, pode isso ser o simples fato de dizer que te gosto, ou de imaginar que um dia nós não seremos mais jovens. Tanta coisa nesse mundo eu quero ver! Tanta! E eu acho que não devemos perder mais tempo..
 
Então, vem aqui, vem me amar, vem me deixar amar você … pelo tempo que tiver de ser… Porque há aqueles se perdem em alguns incêndios, ou em algumas esquinas, outros, como eu, são incapazes de suportar a saudade…
É mais fácil viver com a loucura do que com a saudade.. E eu quero aprender o desapego só para sofrer um tiquinho menos nessa vida, porque nascer para mim foi bem difícil e já não posso mais perder meu tempo.
 
Cada amor que sinto me ensina um pouco mais sobre amor, mas cada vez que me afasto dos amores vejo que sei muito menos sobre amor do que eu imaginava.

 

E eu vou te contar um segrego, eu também sou imperfeita, indigesta, inconformada, incontida, in, in ,in.. vários ins… Mas eu estou in, eu só sei que estou dentro, estou aqui, pronta ou não, do jeito que for.

 

A gente aprende o caminho fazendo o trajeto, o mapa. Eu estou in, estou dentro. E você? Vem?
 
 
Anúncios

13 comentários sobre “Autoajuda Alta

  1. Anônimo disse:

    Já havia gostado. Mas agora, gosto mais. O sabor da releitura é outro. Ganhei texturas, camadas calmas transbordantes que escondem o êtase da revelação.
    Uma pontada de ciúmes da felizarda musa inspiradora.

    Curtir

  2. Anônimo disse:

    O mistério nos retira nem que seja por um breve momento da massante monotonia da rotina. Quando aparecem misteriosas mensagens no meu blog, eu fico imaginando a pose do dito cujo (a) escrevendo. Fico pensando se eu conheço. E, provavelmente, conheço. Ou não?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s