O moinho D’água

 

 

Hoje eu estou pensando no erotismo. Eu estou pensando no sexo. Existem zonas erógenas da mulher que são mais sensíveis que outras; homens sabem bem pouco tocá-las. Algumas vezes a excitação é maior quando uma mulher se toca olhando para o espelho, é amor à 1º vista. Quando o sexo entre homem e mulher acontece, parece que não há tempo para a mulher pensar em seu próprio corpo, talvez porque ela espere que o olhar dela seja o dele naquele momento, que a mão dela seja a dele e que o espelho seja ele.

Acontece que o homem muitas vezes está pensando em suas sensações, em suas rápidas emoções; pouco ele consegue ser o espelho para uma mulher em estado de tesão lascivo. A nudez, que deveria ser algo muito normal e belo, é muito repreendida pela ditadura da beleza, dos músculos, do bronzeado e da juventude. Principalmente se não há amor na prática do sexo, essa imposição parece ser muito mais pesada para a mulher do que para os homens. Para eles, pouco importa as suas barrigas, o pouco tempo de penetração ou a mudez de gemidos e elogios picantes. O que importa é o gozo final e quente.
Para a mulher o sexo está muito mais na cabeça, na imaginação, na imagem que se vê e na imagem que ela imagina que o outro vê dela mesma no momento da entrega. Um toque certo com o pensamento certo na cabeça faz as pernas tremerem, o corpo todo formigar, os dedos se umedecerem, o colo se avermelhar e o sangue correr mais quente pelas veias ao som de uma boca semi-aberta.
Saliva, mãos, olhos, cheiro, calor, pêlos, quase, toque, cheiro, superfície, mistério, dedos, cheiro, pêlos, sabor, vontade, libido, som, voz, ouvido, olhos fechados, beijos, nuca, seios, seios, seios, seios. Toque. Cintura, mão, quadril, movimento, tesão. Glande, clitóris, glande. Calor, cheiro, beijo, língua, mente, coração, som, imaginação. Tesão, língua, calor, olhos, gozo.
Mulheres e homens têm um jeito diferente de fazerem sexo. O maior esplendor é saber encaixar essas maneiras distintas, desenhar o mesmo movimento cíclico, quando um vai o outro vem; ou melhor, quando um vai, o outro vai junto para poder voltar em seguida. É como um moinho d’água. O mecanismo serve a uma função final, a água move o moinho e é o movimento do moinho que gera a energia pela força da água. O sexo move os amantes e é o movimento dos amantes que gera a energia pela força e o vigor do sexo. Força, vigor, amor, tesão e desejo são sinônimos quando se trata de relacionamentos. São palavras que precisam estar presentes entre os amantes, entre aqueles que sexuam numa relação íntima e confidente.
Para terminar, quero lembrar que a masturbação é o maior benefício do Estado laico e é por meio dela que o sexo feminino ainda vai encontrar a liberdade verdadeira do devir mundo.
Ps: sou mulher. Não sou sexóloga.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s