Lágrima = sal e água

Parece até mentira ou brincadeira que seja eu a mesma pessoa que esteja escrevendo isso..depois de tantas outras com temáticas mais “animadas”. Depois de estar o dia todo em casa, estudando e escrevendo meus textos.. depois de fazer o almoço e de arrumar para deixar tudo limpo.. eu me deitei um pouco para uma soneca..Acordei agora… pouco tempo depois com um certo ar de vazio, solidão e saudade..

Uma sensação muito ruim se apoderou de mim, era como se eu quisesse voltar no tempo, recuperar alguma coisa.. um certo medo de não saber onde estava..de não se justificar em nada a distância que tenho das pessoas que amo.. Eu comecei a chorar..de repente eu queria estar em outro lugar, longe muito longe daqui..onde houvesse alguém para saber quem eu sou, para dividir coisas boas..para acolher meus pensamentos ao invés de dar as costas a eles..Eu estou chorando ainda…Percebi então a minha real situação, que estou aprisionada aqui de alguma maneira.. que tenho vontade de gritar, de ser como sou, livre, longe de perfeições, formalidades, sem exagerados pedidos de permissão para tudo, sem abertura, ao contrário, encontrando o julgamento em tudo, a desaprovação.

As lágrimas me chegaram tão rápido e eu fiquei tão desacreditada de tudo que vim fazer aqui, da real boa ação e bom caminho..que não mais sentia prazer no que estava buscando fazer.. Depois das lágrimas, vem a angústia, as interrogações.. a falta de ar que a rotina lhe trás, o sufocamento. Eu tenho defeitos e só quero conviver com eles em paz e sem culpa.. se pedir que me aceitem assim é muito.. Eu é que já não suporto mais tentar ser o que definitivamente não sou. Eu é que já não suporto mais ouvir tudo calada, ouvir ameaças, ouvir que nada é bom o suficiente e que por isso estou na berlinda. Pro inferno..

Busquei ficar imune a isso, busquei me concentrar e levar adiante o caminho sem me deixar abater por miudezas, mas isso é muito difícil..estou me sentido no limiar de uma resposta mal criada, de chutar o balde de merda para longe e mostrar a todos o quanto essa rotina, o machismo, a falsidade é alienante. Não há gratidão que pague a cegueira, a úlcera, a vontade de ir e vir, a vontade de poder fazer algo sem culpa de ser taxada, ser acusada de coisas terríveis quando simplesmente vc só quis respirar um pouco. Seja o que for que vai acontecer na minha vida.. eu estou certa de que esta que levo morando nessa casa eu não suporto mais. Não mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s